Diastema

O que é diastema?

O diastema é o nome clínico usado para designar dentes separados. Os diastemas são uma das muitas situações de mau posicionamento dentário, que na maior parte das vezes ocorre nos dentes anteriores do maxilar superior (incisivos), que leva o paciente a recorrer ao Médico Dentista, normalmente Ortodontista, no sentido de as corrigir. Ou seja, no diastema os dentes estão abertos ou apartados, deixando uma lacuna ou espaço entre os dentes que tende a ser mais inestético quanto maior for o “buraco”, podendo mesmo interferir com a autoestima da pessoa, principalmente nos casos de dentes da frente separados, não sendo tão relevados nas situações de diastema inferior e diastema lateral.

Esta situação de dentes afastados é passível de correção, não só porque é feio ou por razões estéticas, mas também por motivos de ordem funcional ou de má oclusão.

Enquanto dentição de leite (dentes no bebé e criança) essa situação não merece relevo, e até pelo contrário, tende a ser benéfica para promover o espaço necessário para erupção da dentição definitiva cujos dentes apresentam um maior volume. Contudo, nos adolescentes e adultos a situação torna-se indesejável e, por isso, recorre-se normalmente à ortodontia no sentido de corrigir esta separação nos dentes.

A ortodontia é a especialidade relacionada com o estudo, prevenção e tratamento das alterações do posicionamento dos dentes e com o crescimento e o desenvolvimento dos maxilares. Para além dos dentes disjuntos ou separados, outras anomalias como dentes tortos, dentes apinhados ou “encavalados” ou mal posicionados são problemas possíveis de correção.

Quais são as causas da Diastema?

As causas que levam ao aparecimento de diastemas podem ser de vária ordem, sendo a mais frequente relacionada com uma desproporcionalidade entre o tamanho dos maxilares e o tamanho dos dentes, ou seja, uma maior dimensão do espaço ósseo das arcadas dentárias em relação ao tamanho dos dentes, ou uma dimensão dos dentes menor que a normal (microdontia) face ao espaço existente nas arcadas. Esta característica tende a ser de origem genética, e como tal pode ser transmitida nos genes de pais para filhos.

Outras causas passam pela ausência da erupção de algum dente (agenesia), também de origem genética e, muitas vezes, hereditária ou pela perda de algum dente, levando a que neste caso os dentes se afastem ou desencostem uns dos outros pelo espaço excedente.

A inserção baixa do freio labial também é uma característica que origina diastemas com frequência, embora neste caso normalmente localizados apenas entre os dois incisivos centrais (diastema intersticial), onde as fibras desse freio nesse tipo de inserção baixa se prolongam até ao término da gengiva que separa os dois dentes (papila), impedindo assim que os mesmos se encostem.

Causas menos frequentes podem estar relacionadas com o hábito de sucção e uma atividade excessiva ou parafuncional da língua que levem a desequilíbrios no desenvolvimento dos maxilares e também por traumatismos e problemas parodontias, pois a perda do tecido ósseo e gengival dos dentes tende a originar mobilidade dos dentes, e com isso a sua movimentação.

Muito raramente acontece também uma relação direta entre certas doenças e a presença de diastemas, nomeadamente o Sindome de Down (trissomia 21), Doença de Paget, Acromegalia ou gigantismo e Osteomalacia, entre outras.

Como funciona o tratamento do diastema?

O tratamento para diastema com o intuito de fechar ou unir os dentes afastados, difere consoante a causa que provoca o diastema.

Na maioria dos casos recorremos ao tratamento ortodôntico, principalmente em adolescentes e jovens, mas também muito considerado nos adultos. O tratamento ortodôntico passa pela utilização de um aparelho ortodôntico ou aparelho dentário que é usado para corrigir ou alinhar a posição dos dentes, incluindo as situações de dentes afastados ou diastemas. Neste caso, é imperioso colocar uma férula de contenção fixa após ocorrer o fechamento do diastema e remoção do aparelho ortodôntico para impedir que os dentes se voltem a afastar, pois existe uma probabilidade de recidiva maior neste tipo de anomalia.

O tratamento ortodôntico é realizado através de forças exercidas nos dentes por um aparelho de modo a juntar os dentes, selecionado de acordo com o diagnóstico efetuado. São estas forças que vão permitir resolver o problema, ou seja, efetuar a correção ou alinhar a posição dos dentes. A duração do tratamento depende da técnica a utilizar e do tamanho e localização dos diastemas existentes. Normalmente, o tempo de tratamento varia de 12 a 36 meses, implicando em cada mês uma consulta para controlo e ativação do aparelho.

Corrigir os dentes com esta técnica permite manter os dentes íntegros, o que não acontece com o recurso à prótese fixa, onde implica sempre alguma invasão e comprometimento da estrutura dentária.

Podemos subdividir e identificar os seguintes tipos de aparelhos ortodônticos ou dentários:

Aparelho fixo.

Os aparelhos dentários fixos, habitualmente, são apenas considerados para correção nos adolescentes e adultos.

Aparelho móvel ou removível

Os aparelhos dentários removíveis ou móveis, habitualmente, são apenas indicados nas crianças (aparelho infantil), não sendo contudo indicados para corrigir situações de diastemas.

A decisão de colocar aparelho nos dentes para efetuar a correção dos diastemas implica uma avaliação por parte do Médico Dentista, que deve informar o doente acerca das vantagens e desvantagens deste método relativamente a outra solução de tratamento para fecho de diastemas.

Conheça o Invisalign.

No caso dos adultos, e caso não queiram ou não seja adequado o tratamento ortodôntico, existe a possibilidade de fechar os espaços ou diastemas recorrendo-se à prótese fixa, nomeadamente através da colocação de pontes, facetas dentárias ou coroas nos dentes em questão, de forma a aumentar a dimensão da sua coroa até que se toquem interproximalmente. Neste caso, já implica uma intervenção mais invasiva ao nível dos dentes, com maior ou menor desgaste da superfície dentária, de modo a aplicar as facetas, coroas ou pontes fixas.

Existem casos onde o preenchimento dos espaços entre os dentes pode ser realizado recorrendo-se à adesão de incrementos de resina composta, que poderá funcionar muito bem nos casos em que os dentes estão levemente afastados.

Em casos de dentes muito separados, fechar o diastema com resina já não será indicado, pois tendem a fraturar ou descolar com relativa facilidade, sendo preterida pela colocação de coroas ou facetas em porcelana ou cerâmica, pois é um material muito mais resistente, para além de ser também mais estético.

Quando a separação dos dentes é provocada pela inserção baixa do freio labial, o tratamento passa pela cirurgia, procedendo-se ao corte e secção das fibras que o compõem. Contudo, esta pequena operação, só deverá ser considerada após a erupção dos incisivos laterais.

Eventualmente, em casos muito específicos e isolados de diastemas, poderá considerar-se a colocação de um implante dentário, desde que exista espaço e condições ósseas favoráveis, e se o resultado estético for sobreponível relativamente a outras soluções.

Medicina Estética

A Medicina Estética é uma (sub) especialidade médica cujo objetivo é melhorar e corrigir, mediante tratamentos, alterações da pele não provenientes de doença, como rugas, manchas e cicatrizes e do corpo, como gordura localizada.

Há um número cada vez maior de pessoas que, sem terem alguma patologia/alteração prévia, procuram estes tratamentos realizados por profissionais experientes, com conhecimento profundo da anatomia e fisiopatologia da pele.

Porquê recorrer à Medicina Estética?

Desde a Antiguidade que se utilizam técnicas para a manutenção e promoção da beleza e juventude, tanto feminina como masculina.

A Medicina Estética baseia-se na utilização de práticas médicas minimamente invasivas, em que seja utilizada anestesia tópica ou local e sem internamento.

Objetivos da Medicina Estética:

  • Prevenção e tratamento de todo o tipo de patologia estética;
  • Aplicação de técnicas para melhorar a estética e beleza;
  • Prevenir o envelhecimento;
  • Promoção da saúde e bem-estar físico, mental e pessoal

O que é o implante dentário?

O que é o implante dentário?

Os cilindros usados nos implantes dentários são feitos de titânio comercialmente puro e biocompatível — ou seja, um metal compatível com o tecido, o que torna sua interação tão natural que um não é afetado pelo outro. Estes pinos metálicos são rosqueados no tecido ósseo, funcionando como uma raiz artificial para as próteses fixas ou removíveis. Os pinos podem ser feitos em diversos tamanhos e espessuras, de forma a atender diversas necessidades.

A escolha do titânio como material utilizado nos implantes é facilmente justificada: além de não causar rejeição em contato com os ossos e o tecido gengival, esse metal é altamente resistente e não sofre corrosão.

Uma das maiores vantagens dos implantes dentários é o aspecto natural que eles proporcionam, já que o dente é implantado diretamente no osso. Além disso, os dentes vizinhos são preservados, sem que haja necessidade de desgaste para preparação da prótese, e a sensação ao mastigar é a mesma de um dente natural.

Note que o Implante Dentário, após realizada a cirurgia para a sua colocação, não fica aparente, ele fica embaixo da gengiva, dentro do osso. O que vai aparecer na boca é a prótese que será feita sobre esse implante, ok? É como se o implante fosse os pés de uma mesa e o tampo da mesa, a prótese.

É importante que você saiba que o implante substitui a raiz de um dente que não existe mais, ou seja, se você ainda possui o resto de raiz de um dente você terá que avaliar se essa raiz está boa. Se estiver boa, você poderá usá-la para fazer uma prótese fixa convencional, tipo pivô. Agora, se essa raiz estiver condenada, deve-se fazer a extração dela e colocar um implante no seu lugar.

Quando é indicado o implante?

O implante dentário é indicado para as situações em que há perda de um ou mais dentes, quando há insatisfação com a mastigação e má adaptação de próteses ou uso de próteses esteticamente desfavoráveis.

O comprometimento dos dentes — como em casos de fratura da raiz ou doença periodontal, que causa mobilidade — também podem indicar a necessidade dos implantes, mesmo quando não ocorre a perda total do dente.

Depois que o paciente perde um dente, o ideal é que se espere um período de tempo para que haja completa cicatrização da área. Porém, algumas técnicas de colocação imediata podem ser utilizadas para fazer o implante na mesma sessão de extração do dente, de acordo com a indicação do dentista que acompanha o caso.

O implante dentário pode ser recomendado para frear a reabsorção óssea. Isso ocorre por causa de um osso denominado alveolar, responsável pela sustentação dos dentes para permitir a mastigação.

O Implante Dentário está indicado em diversas situações clínicas, todas elas envolvendo perda de dentes.

  1. Pode ser utilizado para repor apenas um dente faltante.
  2. Pode ser utilizado para repor um espaço desdentado envolvendo 3 ou mais dentes faltantes.
  3. Pode ser utilizado para repor uma arcada inteira desdentada. Nessa situação, com apenas 4 implantes, conseguimos desenvolver trabalhos de próteses totais fixadas nesses implantes.

Como funciona a cirurgia?

A cirurgia de implante dentário é o procedimento cirúrgico (operação) que nos permite a colocação dos implantes, sendo na atualidade muito seguro e utilizado com muita frequência um pouco por todo o mundo. Esta cirurgia veio melhorar significativamente a qualidade da reabilitação oral nos casos da falta de dentes.

Após estudo radiográfico, os implantes dentários são colocados em locais onde exista osso suficiente e saudável, sendo contraindicados se não existirem as condições mínimas de quantidade e qualidade de osso ou se o paciente apresentar alguma limitação ao nível da sua saúde em geral.

A colocação de um implante dentário dói?

A colocação de um implante dentário, habitualmente, não provoca dor, pois o paciente é previamente anestesiado. A operação de implantes dentários é quase sempre efetuada mediante anestesia local, salvo nos casos dos Implantes zigomáticos onde é efetuada sob anestesia geral.

Quanto tempo duram os implantes?

Os implantes podem durar uma vida ou muitos e muitos anos. Desde que não existam doenças sistêmicas graves e oncológicas. Se o paciente seguir as recomendações do dentista nomeadamente os cuidados a ter, cumprir as consultas de rotina e controlo, os implantes podem durar muitos e muitos anos.

O tratamento é demorado?

Bem, essa pergunta está diretamente relacionada com o tempo de osseointegração (grudar no osso) do Implante e varia segundo o tipo de implante utilizado. Ou seja, existem Implantes mais sofisticados que apresentam um prazo de osseointegração de 21 dias. Isso mesmo, em 21 dias você já poderá estar fazendo sua prótese dentária sobre esse Implante que já estará integrado ao seu organismo. Contudo, existem Implantes mais simples que demoram até 6 meses para grudar no osso, ou seja, seu tratamento irá demorar bem mais para ser concluído.

E por que ocorre a rejeição do implante dentário?

Atualmente, com o desenvolvimento técnico e científico, o índice de rejeição dos implantes dentários é baixíssimo. As empresas de implantes estão desenvolvendo produtos cada vez mais sofisticados que trazem segurança tanto para o paciente quanto para o profissional, além de acelerar o período para que o tratamento fique completo.

Entretanto, ainda existem casos nos quais ocorre rejeição do implante dentário, mas por quê?

São casos em que houve um mal planejamento e alguns fatores em conjunto atuaram para esse insucesso. Por exemplo:

  • Colocar implantes em áreas de enxertos ósseos não consolidados, ou seja, o enxerto ósseo não ficou bom e, mesmo assim, se optou por colocar implantes naquele local.
  • Colocar implantes em locais inflamados. Essa inflamação irá reabsorver o osso e impedir uma correta integração óssea.
  • Colocar implante e fazer carga imediata (dente na mesma hora) em pacientes que façam apertamento dentário noturno ou diurno.
  • Colocar implantes em osso de baixa qualidade e quantidade sem que haja um reforço ósseo adicional.
  • Extrair um dente e colocar o implante na mesma hora, sem que haja uma condição óssea mínima para estabilizar esse implante, já que no local da extração do dente fica um “buraco ósseo”. Então são cuidados que devemos tomar e ficar atentos.

Diferenças entre prótese convencional x prótese total

A grande desvantagem das próteses totais convencionais é que elas não conseguem parar o processo de reabsorção dos ossos dos maxilares e, ás vezes, podem até mesmo acelerar esse processo. Também são próteses grandes que necessitam cobrir uma grande área do céu da boca e gengiva, isso gera desconforto, perda de sensibilidade bucal, fungos na mucosa abaixo da dentadura e lesões de gengiva (hiperplasias protéticas).

Já a prótese total com implantes vai necessitar de uma quantidade de acrílico, muitas vezes, mínima, deixando todo o céu da boca livre para o paciente sentir a presença dos alimentos, ter uma sensação de boca livre e previnir infecções fúngicas. Também pode ser uma prótese totalmente apoiada nos implantes o que evita lesões nas gengivas. Também, pelo fato de ter implantes integrados ao osso, ela irá impedir o processo de reabsorção óssea (perda dos ossos dos maxilares).

Quanto custa um implante dentário?

O preço ou valor de um implante dentário pode variar tendo em conta as diversas condicionantes associadas, conforme discutido anteriormente.

No implante zigomático, o preço tende a ser superior, não só pela necessidade de se realizar sob anestesia geral, como também do próprio tipo de implantes (muito mais compridos). No implante de carga imediata, o preço ou valor também aumenta ligeiramente devido ao facto de ser necessário um maior número de peças para a confecção da prótese fixa provisória. O preço individual (1 dente) ou o valor de vários dentes, ou até de uma dentadura completa ou total pode também diferir (no caso de um maior número de dentes, os preços tendem a baixar, ou seja, o preço médio por dente tende a ser mais barato).

Pós operatório de implante dentário

Regra geral, na recuperação da cirurgia do implante dentário nada de preocupante ocorre e não obriga propriamente a qualquer repouso no pós operatório, nem a suspensão laboral. Ou seja, a recuperação após a cirurgia é quase imediata, podendo o doente levar uma vida perfeitamente normal durante todo o tempo de recuperação, desde que siga as recomendações fornecidas pelo seu médico dentista.

De modo, a minimizar alguns riscos e complicações são necessários alguns cuidados após implante dentário por parte do paciente, tais como:

  • Tomar a medicação prescrita a horas;
  • Aplicar gelo (indiretamente) sobre a zona intervencionada;
  • Evitar movimentos bruscos com a cabeça e qualquer atividade física mais intensa;
  • Evitar exposição ao sol e fontes de calor;
  • Reforçar os cuidados de higiene oral;
  • Optar por uma alimentação mais mole ou pastosa durante a 1ª semana após a cirurgia.

Não é necessário portanto um repouso no pós operatório, podendo o doente levar uma vida perfeitamente normal desde que sejam mantidas as recomendações atrás enunciadas.

No caso de ser efetuado enxerto ósseo para colocação do implante dentário, a recuperação é semelhante, com exceção do facto de que será necessário aguardar algum tempo adicional até que se verifique a total osseointegração do implante.

Não existe, normalmente, dor após a colocação do implante dentário, (dores no pós operatório), mesmo que se verifique a chamada rejeição de implante dentário (perda do implante).

Saiba tudo sobre a Bichectomia

Bichectomia é o nome dado à remoção cirúrgica de gordura da bochecha, chamada bola adiposa de Bichat. Isso permite diminuir o aspeto redondo do rosto, modificando o contorno facial.

O procedimento é simples e eficaz. O médico realiza dois cortes (de 1 cm a 3 cm) na parte interna da boca, por onde o retira a gordura. Não há sangramento e não deixa cicatriz.

Antes de começarmos o artigo, achei prudente esclarecer alguns pontos mais comuns entre os pacientes:

A Bichectomia é irreversível?

Sim, a bichectomia é um procedimento irreversível. Uma vez retirada a estrutura adiposa que forma a bola adiposa de Bichat, a gordura não volta nunca mais. Por isso, se a pessoa ganhar peso após a cirurgia até poderá haver uma mudança no contorno facial por acumulação de gordura, mas será mais percetível noutras regiões e não tanto nas bochechas.

Quais são os riscos da Bichectomia?

Como a bola adiposa de Bichat fica muito próxima de um nervo, este pode ser atingido e surgir uma paralisia facial. Outro risco é ocorrer uma lesão do canal salivar, que leva a saliva para dentro da boca.

Como é feito o diagnóstico? A bichectomia está indicada apenas para pessoas com excesso de peso?

A anatomia do rosto é complexa, tem múltiplas e delicadas estruturas, além de diversos compartimentos de gordura. Por isso, as bochechas protuberantes podem conferir à face um aspeto mais volumoso, dando inclusivamente a impressão de que há um excesso de peso.

No entanto, antes de efetuar uma Bichectomia é preciso tomar alguns cuidados. Na avaliação pré-operatória, o médico pode pedir exames de sangue ou cardiológicos; além disso, há pacientes que precisam passar por outros exames, a fim de se determinar o tamanho da gordura a ser retirada ou até mesmo ver se há outro fator para o aumento das bochechas. Isto porque o aspeto “bochechudo” nem sempre está relacionado com a bolsa de gordura. Um diagnóstico errado pode aumentar o problema.

Quem tem indicação para fazer uma Bichectomia?

Quer os homens, quer as mulheres podem beneficiar do procedimento, com exceção daqueles com idade abaixo dos 16/18 anos ou sem o peso ideal. A redução das bochechas está indicado para quem tem o rosto gordinho, devido à acumulação de gordura nessa região.

Em geral, os pacientes que optam por uma Bichectomia procuram uma aparência harmoniosa da face, com feições bem definidas e traços suaves.

Fico com alguma cicatriz?

Não. O corte de aproximadamente 1 cm é feito na parte interna da boca.

Esclarecido? Vamos agora ao artigo!

Saiba tudo sobre a Bichectomia

Bichectomia é o nome dado à remoção cirúrgica de gordura da região das bochechas, como objectivo de modificar o contorno facial.

Quer os homens, quer as mulheres pode beneficiar do procedimento, com exceção daqueles com idade abaixo dos 16/18 anos ou sem o peso ideal.

Como o compartimento de gordura a ser excisado se encontra debaixo das estruturas nobres da região facial, a sua abordagem é feita através de pequena incisão na cavidade oral, o que facilita a identificação e manipulação, além de minimizar os riscos.

A bichectomia costuma ser um procedimento rápido. O tempo pode variar dependendo do tipo de anestesia utilizada.

Este procedimento ganhou mais evidência recentemente, pelo facto de muitas atrizes terem efetuado a bichectomia para dar mais realce à maçã do rosto, ganhando assim um visual esteticamente mais harmonioso e sensual.

Benefícios da Bichectomia

  • Procedimento minimamente invasivo
  • Pós-operatório tranquilo;
  • Indolor;
  • Resultados vistos rapidamente

Agora atenção, a respeito da cirurgia, é importante ressaltar mais uma vez que o procedimento é irreversível. Isso pode ocorrer devido à falta de sustentação nas bochechas, que ocorre com a retirada das bolas de bichat. Por este motivo, alguns especialistas são contra o procedimento.

Qual é a função da bola de Bichat no organismo?

A bola de Bichat é importante nos primeiros anos de vida, para ajudar na sucção e alimentação dos bebês. Na idade adulta, ela serve como uma estrutura gordurosa entre os músculos da face, porém com pouca função fisiológica.

Cuidados pós-operatório

De forma a amenizar os efeitos pós-cirúrgicos de uma Bichectomia, como o inchaço e o aparecimento de zonas roxas nas bochechas, é aconselhável fazer compressas geladas. A alimentação deverá ser à base de produtos líquidos e pastosos nas primeiras 48h. Poderá retomar ao trabalho após 6 dias de repouso, mas a prática de exercício físico intenso só poderá ser realizada 4 semanas após a cirurgia. Durante o período do pós-operatório, o paciente deve fazer paracetamol para minimizar a dor. A baixa médica varia entre os 6 e os 12 dias, período no qual pode trabalhar a partir de casa, sem fazer demasiados esforços.

Como qualquer outro pronto pós-operatório, mesmo sendo uma cirurgia pouco invasiva, alguns cuidados devem ser tomados para acelerar a cicatrização e os resultados. São eles:

  • Aplicação de compressas de gelo, pelo menos três vezes ao dia;
  • Não tomar sol durante uma semana;
  • Não praticar atividades físicas de grande esforço pelo menos três dias;
  • Não ingerir alimentos cítricos por pelo menos 4 dias;
  • Não ingerir alimentos de difícil mastigação por pelo menos 4 dias (amendoins, nozes, etc).

Quanto custa a Bichectomia? Qual Preço?

O valor da bichectomia varia muito de acordo com o local que você mora, a clínica que você escolhe ou até mesmo se você vai fazer com o médico ou dentista. Os preços variam de R$ 1000 a R$ 7000 reais, dependendo dos fatores já citados.

Importante falarmos um pouco sobre os riscos da bichectomia

Apesar de a bichectomia ser considerada simples, como qualquer cirurgia, também existem alguns riscos. Caso seja retirada muita gordura, o paciente pode perder a habilidade de sucção com a boca e com o passar dos anos o rosto pode ficar excessivamente fino. Quando a bichectomia não é feita corretamente, a longo prazo o rosto pode ficar mais caído. Mas isso é muito raro de acontecer. Se retirar apenas o excesso, o resultado será apenas a melhora estética.

Outro problema que pode acontecer durante a cirurgia é um corte acidental e errôneo de algum nervo ou músculo. Isso pode levar a sérias complicações, como hematomas, perda de movimentos, com consequente rosto torto e fístula salivar, ou seja, a saída de saliva por lugares errados. A intervenção cirúrgica é inadequada para pessoas que não têm a bola de Bichat com tamanho acima do normal.

Gostou? Compartilhe o artigo.

Facetas dentárias: Tudo o que deve saber

 

Já pensou como seria a sua vida se tivesse o sorriso com que sempre sonhou? Saiba o que são as Facetas dentárias.

O sorriso é o “cartão de visita” imediato para quem nos conhece. Se tenciona fazer um tratamento de facetas dentárias é muito importante que se informe como funciona todo este processo de reabilitação.

A faceta é um revestimento cerâmico, fino, duradouro e resistente, que possibilita tanto a transformação profunda de um sorriso como uma abordagem mais conservadora, num só dente. É um tratamento adequado para ajudar a corrigir problemas estéticos, que o impedem de ter o sorriso bonito que sempre desejou.

Como saber se as Facetas são a melhor opção para si?

É muito importante encontrar um equilíbrio entre as suas motivações e a avaliação clínica do seu médico dentista. A versatilidade é uma das grandes vantagens deste tratamento. Pode querer apenas corrigir um dente mais desalinhado ou inestético e obter resultados finais fantásticos, ou transformar completamente o seu sorriso.

Alguns problemas que podem ser resolvidos com reabilitação através de Facetas Dentárias:

  • Dentes manchados ou escurecidos
  • Dentes desgastados ou fraturados / partidos
  • Dentes tortos ou desalinhados
  • Dentes com espaços irregulares entre eles

A consulta de diagnóstico é o primeiro passo para, em conjunto com o seu médico dentista, o paciente manifestar a sua vontade e expectativas a nível estético. Temos de perceber e avaliar a condição da sua saúde oral e quantas facetas serão necessárias para obter um resultado satisfatório. A utilização do Digital Smile Design como ferramenta de planeamento de um sorriso tem um papel fundamental no processo de reabilitação, permitindo perceber como ficará o seu sorriso antes mesmo de começar o tratamento.

É essencial que a sua saúde oral esteja em boas condições antes de avançar para um tratamento de facetas. Os seus dentes e gengivas devem estar saudáveis e qualquer doença oral, como cárie dentária, devem ser devidamente tratadas. Por vezes, após o diagnóstico inicial, é necessária a utilização de aparelho dentário para conseguir uma posição dentária ideal e o melhor resultado final.

Passos para a colocação de facetas dentárias:

  1. Diagnóstico e análise do sorriso
  2. Desenho digital do sorriso final + maquete das facetas
  3. Colocação das facetas provisórias
  4. Colocação das facetas definitivas

Numa fase inicial, são colocadas facetas provisórias nos dentes, para que seja possível desenhar as facetas definitivas e fazer os ajustes necessários até que o seu novo sorriso lhe seja o mais confortável e natural possível.

Com a evolução dos materiais e técnicas de colocação, as facetas tornaram-se cada vez mais finas e como tal a preparação dos dentes é minimamente invasiva, conservando a sua estrutura dentária.

Posso colocar facetas apenas nos dentes da frente (anteriores)?

Esta é uma pergunta muito frequente, à qual a resposta é sim. Contudo, há vários factores que condicionam esta opção e que dependem de cada caso específico. Podemos obter resultados extraordinários em tratamentos de facetas que envolvam um número reduzido de dentes, bem como em tratamentos de transformação total do sorriso. O “olho clínico” do médico dentista e a sua experiência em tratamentos estéticos, como é o caso das facetas, é fundamental para adequar o resultado final às necessidades do paciente.

Depois de ter o sorriso com que sempre sonhou, como o deve cuidar?

Após a colocação de facetas dentárias, deve tratá-las da mesma forma que cuida dos seus dentes naturais, através de uma escovagem regular e do uso de fio dentário. Para além disto é importante que mantenha as suas visitas regulares ao dentista.

Com os cuidados adequados, as facetas podem sobreviver por décadas. É muito importante que os pacientes que optam por este tipo de tratamento estético, sigam as instruções do seu médico dentista.

Facetas dentárias Ortodontia

Uma reabilitação deste calibre é um profundo investimento na autoconfiança e qualidade de vida de um paciente. É também por isto que este tipo de tratamento estético e personalizado é dos mais eficazes para conseguir o sorriso que sempre desejou.

Para um paciente que cuide bem do seu novo sorriso, através de bons hábitos de higiene oral e visitas regulares, apenas lhe resta usufruir do prazer de sorrir com confiança. É no momento em que vejo a felicidade e a confiança estampada no rosto dos meus pacientes, que sinto que o objetivo foi atingido.

Caso tiver interesse em aparelho invisível, conheça o Invisalign.

É possível colocar facetas dentárias apenas nos dentes anteriores?

A resposta imediata a esta questão é sim. Contudo, há vários factores que condicionam esta opção e que, tal como em qualquer tratamento dentário, dependem de cada caso específico.

É um facto que os dentes da frente (anteriores) são a zona mais comum de colocação de facetas, mas este tratamento não está limitado a esta área do sorriso. A utilização de facetas em tratamentos estéticos de transformação deve ser planeada e personalizada em harmonia com o paciente. Aspectos como a cor, largura, o tamanho e a adaptação da gengiva, são determinantes no planeamento de cada caso.

É muito importante encontrar um equilíbrio entre as motivações do paciente e a avaliação clínica do seu médico dentista, pois pode querer apenas corrigir um dente desalinhado ou inestético e obter resultados finais fantásticos, ou transformar completamente o seu sorriso.

O “olho clínico” do médico dentista e a sua experiência em tratamentos estéticos, como é o caso das facetas, é fundamental para adequar o resultado final às necessidades do paciente.

A consulta de diagnóstico é o primeiro passo para, em conjunto com o seu médico dentista, manifestar a sua vontade e expectativas a nível estético. Temos de perceber e avaliar a condição da sua saúde oral e quantas facetas dentárias serão necessárias para obter o resultado que deseja. As fotografias e a utilização do Digital Smile Design (desenho digital do sorriso) como ferramenta de planeamento de um sorriso tem um papel fundamental no resultado, uma vez que tem acesso ao seu sorriso final antes mesmo de iniciar o tratamento!

A boa notícia é que não necessita de colocar facetas em todos os seus dentes para obter como resultado um bonito sorriso. O tratamento de facetas aplicado apenas nos dentes anteriores ou num só dente que esteja danificado ou em desarmonia com o restante sorriso, é suficiente para obter ótimos resultados. Se optar por aplicar um maior número de facetas, de forma a preencher todo o seu sorriso, pode também fazê-lo, em conformidade com o parecer clínico do seu médico dentista.

Uma reabilitação deste calibre é um profundo investimento na autoconfiança e qualidade de vida de um paciente. É também por isto que este tipo de tratamento estético e personalizado é dos mais eficazes para conseguir o sorriso que sempre desejou.

Para um paciente que cuide bem do seu novo sorriso, através de bons hábitos de higiene oral e visitas regulares, apenas lhe resta usufruir do prazer de sorrir com confiança.

O que é aparelho Invisalign?

 

Ortodontia Invisalign é um tratamento ortodôntico que tem a característica peculiar de ser invisível, está no mercado há mais de 10 anos e tem tratado mais de três milhões de pessoas. É uma técnica de propriedade da empresa Align Technology, Inc., fundada em 1997.

A característica que o diferencia de outros tratamentos ortodônticos é que Invisalign é praticamente invisível ao olho, o que significa que quase ninguém percebe que você tem “aparelhos” para corrigir os dentes, ou os aparelhos irritantes.

Este tipo de aparelhos invisíveis ajuda a corrigir vários problemas dentários, tais como mordidas cruzadas, mordidas abertas ou profundas, bem como dentes torcidos, separados ou fechados sem a necessidade de aparelhos.

Eles são confortáveis e transparentes e ainda contam com um design personalizado, que será adaptado perfeitamente aos dentes, evitando irritações e feridas. Eles também são removíveis, podendo retirar a qualquer momento.

Alinhadores Quase Invisíveis

O Invisalign corrige os seus dentes através de uma série de alinhadores transparentes removíveis (moldeiras) praticamente invisíveis que são feitos à medida dos seus dentes.

Semanalmente os alinhadores são trocados e os seus dentes vão-se deslocando semana a semana movendo-se gradualmente para a posição final pretendida.

É uma solução confortável, transparente e removível e transforma o seu sorriso sem interferir na sua vida.

Os alinhadores devem usá-los pelo maior tempo possível, recomendam entre 20 e 22 horas por dia, apenas os removem para comer e se você for beber qualquer bebida que possa manchar essas peças para evitar que se sujem ou se deteriorem. Obviamente, também no tempo em que você está lavando seus dentes.

Os alinhadores dos quais são feitos os tratamentos Invisalign, são feitos de termoplástico de alta resistência e são feitos para medir para cada paciente após um estudo prévio em que eles tiram fotos, e o que é mais importante, eles colocam alguns moldes em a goma superior e inferior para posteriormente fabricar os alinhadores.

Esses alinhadores são trocados a cada 15 dias ou duas semanas, dependendo do que seu dentista indicar e cada alinhador alinhador se adapta ao movimento de seus dentes com este tratamento.

Quanto tempo dura o tratamento com Invisalign?

Este tipo de ortodontia é geralmente mais rápido do que outros, então a duração é geralmente mais curta, pode depender de alguns meses a dois anos, isso terá que dizer ao seu dentista e sempre dependendo do estado que a sua prótese apresenta.

Quanto custa um aparelho transparente Invisalign?

Sendo um tratamento que normalmente passa despercebido porque utiliza alinhadores praticamente invisíveis, o custo deste tratamento costuma ser um pouco mais alto que o dos aparelhos normais.

Seu preço pode variar muito dependendo da região do Brasil que estiver. Para maiores informações sobre valores de tratamento, procure o seu dentista de confiança.

Recursos do Invisalign

Ortodontia invisível A principal característica do paciente é fazer um tratamento ortodôntico sem que ninguém perceba.

Adaptado para cada paciente. Antes de iniciar o tratamento, um estudo preliminar com moldes é realizado para que os correspondentes alinhadores Invisalign sejam feitos para medir para cada paciente.

Nenhum desconforto Adaptando-se aos dentes, os alinhadores são muito confortáveis ​​e dificilmente incomodam como os tratamentos com braquets.

Alinhadores Invisíveis Invisalign

Removível, lavável e descartável. Os alinhadores são removidos para comer e beber e após as duas semanas correspondentes, se você tiver tomado as horas correspondentes e seus dentes estiverem se adaptando, você mudará para as semanas seguintes. Você também pode lavar, vamos dizer-lhe os métodos mais eficazes para lavar seus alinhadores.

Quem pode usar o Invisalign?

Para saber se você pode usar este tratamento, primeiro você deve passar por um teste onde eles fazem um molde de seus dentes e algumas fotos. Estes são enviados para o escritório central nos Estados Unidos para saber se você pode ser tratado com este método. Em poucos dias, eles te dão os resultados com um vídeo em três dimensões com o movimento que seus dentes farão com cada fase dos alinhadores que você colocar.

O especialista fará uma avaliação de sua boca para descartar ou confirmar se é um candidato para este tratamento.

Fotografias, raios-x e impressões de seus dentes são tomadas por meio de uma massa que terá que morder para ter o molde de seus dentes em gesso.

O seu especialista enviará os moldes de gesso, onde especificará as características do gabinete para a criação dos alinhadores estéticos.
O laboratório faz uma varredura das imperfeições dentárias convertidas em imagens digitais que ajudarão o especialista a mostrar o resultado esperado com o tratamento.

Finalmente, com esta varredura, uma série de alinhadores transparentes serão fabricados com precisão que o ajudarão a corrigir os problemas dentários.

Cuidados ao utilizar o aparelho

Ao contar com seus alinhadores, é importante usá-los o maior tempo possível durante o dia e a noite, removendo-os apenas para comer e limpá-los. Recomendamos que siga esses cuidados especiais para garantir seu bom estado.

  • Use uma escova de dentes macia apenas para limpar os alinhadores.
  • Lave com água fria e sabão neutro.
  • Não limpe com pasta de dente pode retornar sua cor opaca.
  • Limpe-os antes e depois de usá-los.
  • Não use água quente.
  • Armazene os alinhadores em seu caso para evitar que eles os percam.
  • Não mergulhe o enxaguatório bucal.
  • Não mastigue chiclete usando os alinhadores.

É dentista e quer se tornar um Invisalign Doctor?

O Programa de Credenciamento do Invisalign é composto por uma aula online sobre os conceitos básicos do aparelho, dois dias de curso presencial com ortodontistas em Invisalign e mais dois módulos online.

Após o curso, o Invisalign Doctor conta com o suporte do time Clínico da Align formado por dentistas, da equipe de profissionais de Suporte ao Cliente e o Serviço de Planejamento de Tratamento (TPS).

Também são fornecidos materiais de apoio à sua prática e de comunicação para seu consultório, além de oferecer mais de 100 eventos de Educação Clínica com palestrantes internacionais para aprofundar seu conhecimento.

Para mais informações acesse o site invisalign.com.br.

Programa: Saúde do Idoso

Preparei esse material com muito carinho, os resumos foram feitos totalmente à mão após estudar e revisar de forma detalhada toda a temática abordada, resumi de forma esquematizada e objetiva, além de ser tudo colorido e visualmente eficiente com a utilização de mapas mentais e desenhos para o melhor entendimento.

Meu objeto com esses resumos é contribuir com o aprendizado facilitado de estudantes e profissionais de enfermagem na preparação para concursos, residências e também para a prática profissional. Esses resumos são resultado dos meus estudos pessoais por meio de diversas fontes de conhecimento, como livros, artigos científicos, vídeo aulas e aulas presenciais da graduação.

QUERO ESTE PRODUTO →

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

O pacote contém 28 páginas com os seguintes assuntos:

  • Teóricas do envelhecimento
  • Política nacional de saúde da pessoa idosa
  • Estatuto do idoso
  • Fisiologia do envelhecimento
  • Alterações do sistema nervoso central
  • Avaliação funcional do idoso
  • Desempenho vs capacidade funcional
  • Aspectos farmacológicos do envelhecimento
  • Delirium
  • Demência
  • Doença de Alzheimer
  • Osteoporose
  • Quedas

QUERO ESTE PRODUTO →