No Brasil já atingimos a marca de 28 milhões de idosos em todo o país. E para que eles sejam bem atendidos, muitos estão se tornando cuidadores de idosos, por profissão.

Porém, o que tem se notado com frequência, é que quem acaba nessa profissão, acaba fazendo carreira nela por amor, já que é muito difícil separar o profissional do pessoal.

Conheça mais dessa profissão cuidadores de idosos e veja como ela é também um ato de amor.

O que é um cuidador de idosos?

O cuidador de idosos é aquele profissional responsável por cuidar das necessidades básicas como: alimentação, higiene e também cuidados da saúde do idoso, como por exemplo, cuidar para que todos os remédios sejam tomados na hora certa, entre outros cuidados.

Com a correria do dia a dia, as famílias contratam os cuidadores de idosos, para que eles possam trabalhar e cuidar de outras necessidades da família.

Por esse motivo, muitos ficam o dia todo com o idoso ou até mesmo passam a noite com eles.

Ele é responsável também pelo banho do idoso, pela troca de fraldas, caso necessite, pelo acompanhamento em consultas médicas e por todos os cuidados diários do idoso.

Veja o que é necessário para ser um cuidador de idosos.

O que fazer para se tornar cuidador de idosos?

Os cuidadores de idosos normalmente fazem isso por amor a profissão e principalmente, por amor aos idosos. Por esse motivo, para entrar na profissão você precisará analisar e verificar se possui algumas características importantes, como: 

  •       Calma;
  •       Paciência;
  •       Agilidade;
  •       E responsabilidade.

Lembre-se que normalmente os cuidadores de idosos, estão presentes na rotina do idoso e vão precisar dar banho, cuidar da higiene íntima, entre outros trabalhos.

E muitas pessoas, não tem jeito para lidar com essas situações. Faça uma autoanálise de si mesmo e descubra se você está apto para o trabalho.

Além de uma auto análise, os cuidadores de idosos, fazem cursos preparatórios para aprenderem na prática como funciona a profissão. Na internet, você vai encontrar muitos desses cursos disponíveis.

Neles, você vai aprender diversas coisas, como por exemplo:

  •       Como cuidar da higiene pessoal do idoso;
  •       Como cuidar da pele do idoso;
  •       Como cuidar da nutrição;
  •       Como cuidar da roupa;
  •       Você vai aprender alguns exercícios para Treinar a Resistência Aeróbia;
  •       Alguns exercícios para Treinar a Flexibilidade;
  •       Você vai aprender sobre algumas doenças como: Esquizofrenia, Transtornos depressivos, Transtorno Bipolar, Transtorno Delirante, entre outras doenças;
  •       Entre outros assuntos relacionados ao cuidado do idoso.

Todo esse preparo será para que você cuide da pessoa idosa e as vezes bem debilitada, da melhor maneira possível.

Depois, com o preparo feito, divulgue o seu trabalho para famílias que precisam de atendimento. Mostre as suas principais habilidades e ganhe a confiança da família.

Normalmente, os cuidadores de idosos, tornam-se como que membros das famílias. E é nesse ponto que você deve tomar cuidado, para não colocar sentimentos pessoais e sofrer com o ato de amar o idoso.

Veja como você pode cuidar de si mesmo, para cuidar melhor do idoso.

Realize o seu trabalho de forma saudável

Os cuidadores de idosos, com o passar do tempo, encontram mais do que uma profissão, encontram uma nova forma de amar as pessoas que estão sob os seus cuidados.

Os idosos passam a fazer parte das suas vidas e isso muitas vezes gera um conflito interno avassalador e que pode causar ansiedade e até mesmo depressão.

O profissional precisa saber separar a vida pessoal da vida profissional. Muitas decisões sobre os idosos estão sob responsabilidade da família do idoso e não sob suas responsabilidades.

Decisões como: qual é o melhor tratamento de saúde para o idoso, qual a melhor rotina de exercícios, como o dinheiro do idoso é utilizado, entre outros assuntos pessoais.

Se você perceber que está sendo prejudicado fisicamente, delegue funções ou afaste-se um pouco. Por amar o idoso, você vai passar pela síndrome do cuidador. Mas, o que é isso? Essa síndrome faz o cuidador ter dificuldade de desapegar dos idosos e dificuldade em delegar funções.

Cuidado, ela leva a depressão entre outros problemas psicológicos. Veja como evitar transtornos como esse:

Dicas e estratégias importantes para cuidar com saúde

Os cuidadores de idosos esquecem que estão lá no seu local de trabalho, e passam a sofrer as dores dos seus pacientes, por assim dizer.

Para te ajudar a separar a profissão do amor, vamos a algumas dicas básicas:

  •       Obtenha informações importantes sobre a doença do idoso que irá cuidar, bem como também, descubra sobre todos os cuidados de que ele vai precisar. Assim, seu trabalho ficará mais fácil e menos sofrido.
  •       Delegue funções e responsabilidades aos membros da família. Muitas famílias acabam dando responsabilidades desnecessárias aos cuidadores de idosos. Não permita que isso aconteça, pelo bem da sua saúde.
  •       Permita que o idoso tenha autonomia dos seus atos sempre que possível. Não faça o que ele pode fazer por si mesmo. Isso vai ajudar ele a ter autoestima e também vai deixar você menos sobrecarregado.
  •       Não deixe de lado os seus hobbies preferidos. Tenha uma vida social e não abra mão dos seus momentos de folga. Essas folgas recarregam as suas energias, e fazem muito bem a sua saúde.
  •       Cuide da sua coluna. Os cuidadores de idosos carregam pesos e por isso precisam cuidar da coluna e também de como anda a postura. Isso vai influenciar o sucesso do seu trabalho.

Infelizmente, no Brasil os cuidadores de idosos, apesar de possuírem um papel importantíssimo na sociedade, cuidando com amor, eles não são valorizados.

Os salários são baixos e a real valorização da sociedade é quase nula. Se você está pensando em se tornar um cuidador, faça isso por amor. Não é fácil cuidar de um idoso, principalmente se ele for debilitado. Você vai precisar ser emocionalmente e fisicamente preparado.

Todos os cuidadores de idosos merecem nossa admiração e respeito. Porque eles cuidam de um idoso estranho, um idoso que não são seus pais, tios ou avós, mas eles fazem isso com amor e muito respeito.